Polícia fecha fábrica clandestina de calçados falsos em favela de Belford Roxo

O material, incluindo as máquinas usadas para produzir as peças, está avaliado em cerca de R$ 1 milhão 
Foto: Divulgação

BELFORD ROXO - Policiais Civis da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM), coordenados pelo delegado titular, Maurício Demétrio, localizaram, nesta terça-feira, uma fábrica clandestina que falsificava calçados. A produção funcionava no interior de uma comunidade do bairro Shangri-lá, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Foram apreendidos maquinário e cerca de 2 mil pares de calçados falsos. Além disso, uma pessoa foi conduzida para a DRCPIM, onde prestou depoimento e foi liberada em seguida. Ela vai responder em liberdade pelo crime de propriedade material.

— O material, incluindo as máquinas usadas para produzir as peças, está avaliado em cerca de R$ 1 milhão. A fábrica abastecia toda a Baixada Fluminense e também outras áreas próximas. As investigações não terminam por aqui — destacou Demétrio.

A fábrica abastecia a Baixada Fluminense e áreas próximas 
Foto: Divulgação

Informações obtidas pela polícia apontam que o proprietário da fábrica seria Domerice dos Santos José, conhecido como Dito, de 38 anos, apontado como o número 2 na hierarquia de um dos três grupos de milicianos que atuam nos municípios de Nova Iguaçu e de Belford Roxo. Ele foi detido durante uma ação da Polícia Civil, em julho do ano passado, que levou à prisão de outras 17 pessoas. Na época, agentes encontraram um carro importado avaliado em pouco mais de R$ 50 mil na residência de Dito.


Polícia fecha fábrica clandestina de calçados falsos em comunidade da Baixada Fluminense 
Foto: Divulgação


por: Diego Amorim
Via: Jornal Extra

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.