Wilson Witzel recebe meninos do Gogó da Ema de Belford Roxo campeões da Taça das Favelas


RIO - O governador Wilson Witzel recebeu, nesta segunda-feira (29 de julho), os times campeões da Taça das Favelas Rio 2019. As equipes masculina, Gogó da Ema, e feminina, Curral das Éguas, venceram pela primeira vez, no último sábado (27 de julho), o maior campeonato disputado entre favelas do mundo. O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje), é um dos parceiros da Taça das Favelas.

- Quero parabenizar todos vocês pelo brilhante trabalho que fizeram na Taça das Favelas. O esporte é fundamental para gerar cada vez mais novos atletas em todas as modalidades. Estamos trabalhando para recuperar nosso estado para que vocês tenham mais oportunidades, inclusive, para aqueles que não forem seguir a carreira de jogador e partirem para outra iniciativa profissional. O esporte nos dá garra, vontade de vencer e de se aperfeiçoar cada vez mais – disse o governador.

Organizada pela Central Única das Favelas (Cufa), a competição está na oitava edição e reuniu, ao todo, 240 favelas do estado. O fundador da Cufa, Celso Athayde, lembrou que a competição esportiva teve início como uma alternativa para integração entre as comunidades e, atualmente, já se expandiu pelo país.

- Este é um momento simbólico e importante, pois nosso trabalho é desenvolver uma agenda positiva para as favelas. Quando criamos este projeto, há oito anos, nosso objetivo era juntar os jovens moradores de favelas para que meninos e meninas pudessem interagir diante das dificuldades nos territórios. Hoje, o projeto, de tão certo que deu, está em 10 estados do Brasil e, só no Rio de Janeiro, mobiliza 96 mil jovens – destacou Athayde.

Destaques das equipes campeãs

A final, realizada no estádio do Bangu, consagrou as equipes do Gogó da Ema e Curral das Éguas como as grandes campeãs do torneio. Representando, respectivamente, o município de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, e o bairro de Realengo, na Zona Oeste da capital, os times mostraram talento durante a competição.

O goleiro do Gogó da Ema, Marlon, mais conhecido como Mão, foi quem garantiu o título para a equipe da Baixada Fluminense. A partida foi para os pênaltis, após terminar empatada. Mão, que já havia defendido um no tempo normal, pegou mais dois pênaltis na disputa.

- Entrei no jogo um pouco desligado, mas, no intervalo, levantei a cabeça e vi que era capaz de trazer o título para a comunidade. O time passou por muitas dificuldades no passado e só conseguimos fechar a equipe faltando uma semana para o início da Taça das Favelas. Agora, é só curtir o momento – festejou o goleiro, de 17 anos.

Artilheira da competição, com oito gols, Adriana Lima ‘Imperatriz’ é uma das veteranas no Curral das Éguas. Aos 36 anos e com passagens pelo Vasco e equipes de São Paulo, Adriana ressaltou a importância da Taça das Favelas para a promoção do futebol feminino.

- De todos os títulos que já conquistei, esse é especial por eu ter a idade que estou e na equipe em que jogo. Comecei a jogar ainda nova e, com 13 anos, passei em uma peneira no Vasco, clube que fiquei oito anos. Atuei na seleção e sou da geração que começou com a Marta, Formiga e Pretinha. Tive o privilégio de jogar com a pessoa que hoje é a melhor jogadora do mundo por seis vezes. A Taça das Favelas, que já acontece há algum tempo, só ajuda a divulgar ainda mais o futebol feminino, além de abrir as portas para a profissão – ressaltou a jogadora, que atua como meia atacante.

Nesta terça-feira (30/07), os jogadores e jogadoras das equipes campeãs vão visitar o Cristo Redentor, uma iniciativa da Secretaria de Estado de Turismo (Setur).

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.