Belford Roxo faz campanha de conscientização contra o uso do tabaco


BELFORD ROXO - Conscientizar e mobilizar a população sobre os riscos decorrentes do uso do cigarro. Este foi o objetivo da Semana Nacional de Combate ao Fumo, que foi promovida pela Prefeitura de Belford Roxo, através das Secretarias de Saúde e de Promoção e Proteção à Saúde. A campanha educativa foi realizada em vários locais da cidade, desde o último dia 28. Equipes do Programa Municipal de Combate ao Tabagismo estiveram na Policlínica Neuza Goulart Brizola, no Centro, distribuindo folhetos explicativos e informando sobre os malefícios causados pelo uso do cigarro.

De acordo com o secretário de Promoção e Proteção à Saúde, Robson Sarmento, ações como esta são muito importantes. “É necessário conscientizar a população de que o uso constante do tabaco é nocivo, podendo causar dependência em virtude da presença de nicotina e desencadear várias doenças, como infarto, enfisema pulmonar, derrame e câncer”, explicou.  

Belford Roxo conta com o Programa Municipal de Combate ao Tabagismo, em parceria com o Instituto Nacional do Câncer (Inca) e os Governos Federal e Estadual, que funciona em seis policlínicas: Neuza Goulart Brizola, Santa Maria, Nova Aurora, Heliópolis, Parque São José e Parque Amorim.  Não há estatística sobre os participantes do programa, pois há os grupos em andamento e grupos de manutenção. Mais de 70 pacientes foram atendidos neste quadrimestre e este número deve chegar a 90, de acordo com as coordenadoras do programa, a médica Sandra Madeira e a enfermeira Raquel Calixto. “Nosso programa conta com uma equipe multidisciplinar formada por médicos, enfermeiros, psicólogos, nutricionista. Realizamos palestras e o tratamento. Apesar de todos os esforços, ainda há muitas pessoas resistentes e que abandonam o tratamento. Lutamos para que isso não aconteça”, informou Raquel Calixto.

Inscrições nas policlínicas

As inscrições para o programa – além do tratamento -  são feitas nas próprias policlínicas e ficam abertas durante todo o ano. À medida que vai abrindo vagas, os pacientes vão sendo encaixados. Ao se inscrever, o usuário passa por uma entrevista sobre sua vida como fumante e é inserido em grupos de reuniões. Após as reuniões, cada usuário é avaliado individualmente para definir se precisará ou não fazer uso de adesivos. A cada 15 dias o usuário volta para relatar como está sua rotina sem o cigarro. Somente seis meses sem fumar nenhum cigarro é que o paciente terá alta.

A dona de casa Vanessa Cristina Dias Marinho, de 23 anos, esteve na Policlínica Neuza Brizola e recebeu o folheto explicativo da campanha.  “Não sou fumante, mas conheço alguns amigos que fumam e sei que o cigarro faz muito mal à saúde. É importante participar de campanhas educativas”, finalizou.

Dados sobre o Tabagismo

No Brasil, 200 mil mortes anuais são causadas pelo tabagismo. Hoje, 18,8% da população brasileira com mais de 15 anos é fumante.  O tabagismo é considerado a principal causa de morte evitável em todo o mundo. A OMS estima que 1 bilhão e 200 milhões de pessoas sejam fumantes. O total de mortes devido ao uso do tabaco atinge 4,9 milhões de mortes anuais. Infarto, câncer, derrame cerebral, são algumas doenças relacionadas ao consumo do tabaco.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.