Belforroxense Bill faz três gols e vira destaque do Flamengo na estreia da Copinha


BELFORD ROXO - Pagodeiro, caseiro e de família com passado vascaíno. Esse é Fabricio Rodrigues da Silva Ferreira, o Bill de Belford Roxo, camisa 7 do Flamengo e autor de três gols e uma assistência na vitória por 4 a 0 sobre o River-PI, na estreia na Copa São Paulo de Futebol Junior.


O garoto brilhou na primeira partida do rubro-negro em 2019 e despertou curiosidade da torcida. Afinal, quem é o promissor jogador?

O apelido existe desde a infância, já que o avô paterno, vascaíno, não conseguia pronunciar o nome do neto, devido a complicações na fala. A tradição flamenguista logo tomou conta da família, já que a mãe torce pelo rubro-negro. Até o pai teve que trocar de time para acompanhar o filho.

– Quando eu nasci meu vô já era bem idoso, não conseguia falar o meu nome e aí ele falava “Bill”. Aí ficou, desde pequeno todo mundo me chama assim. Ele era vascaíno, mas eu puxei o lado da minha mãe, que é todo flamenguista. Meu pai era vascaíno, mas mudou. Já aconteceu dele ir em Flamengo e Vasco em São Januário e torcer pelo Flamengo. Ele diz que foi pelo filho, então tenho certeza que ele já mudou de bandeira – brinca Bill.


Fora de campo, Bill diz que não é chegado em baladas e que prefere ficar em casa, para aproveitar o tempo livre com a família. O pagode com Ferrugem e Tiee também não pode faltar nas folgas.

– Fora de campo eu gosto de tocar um pagode, isso é uma tradição do carioca: Tiee, Ferrugem. Gosto muito desse tipo de cantor. Gosto de ficar com a família, curtir um pouco com eles.

O atacante de 19 anos falou também do começo no futebol, desde pequeno nos campinhos da cidade natal. Aos 13 anos, teve uma oportunidade no Nova Iguaçu-RJ e, em seguida, chegou ao clube de coração, onde já conquistou a Copinha de 2018. Agora, quer o bicampeonato, de preferência com mais gols como o da estreia.

– A infância sempre foi de muito futebol, nunca tive esse pensamento de chegar onde cheguei, porque o sub-20 do Flamengo já é muita coisa. O futebol eu jogava desde pequeno, em qualquer lugar.

Via GloboEsporte

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.