Belford Roxo realiza Dia D contra a Dengue, Zika e Chikungunya


BELFORD ROXO - A Secretaria de Saúde de Belford Roxo realizou no final de semana o Dia D contra a dengue, zika e chikungunya, que teve o objetivo de orientar os riscos dessas doenças, que são transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti. O evento aconteceu na Praça de Heliópolis e contou com a equipe da Secretaria Adjunta de Controle de Vetores e Zoonoses, que já realiza um trabalho de prevenção no município com visitas domiciliares a cada dois meses, carro-fumacê e máquinas costais. Durante a ação, aconteceu uma apresentação de peça de teatro, orientações sobre os cuidados contra o mosquito e a distribuição de panfletos com informações complementares.

Segundo o secretário de Saúde, Vander Louzada, o Dia D, que foi estipulado pelo Estado, é a data que marca as ações de prevenções e orientações que devem ser feitas diariamente. “A população também tem que fazer a sua parte, pois todos os dias são de combate ao mosquito. A Prefeitura já vem realizando esse trabalho de prevenção e combate com visitas domiciliares, novos veículos que vieram para somar e os insumos. É sempre bom dar aquela olhadinha no quintal, jardim, naquele pneu que está virado e tentar acabar com o foco do mosquito”, disse.

O secretário adjunto de Controle de Vetores e Zoonoses, Vinícius Augusto listou as principais causas da proliferação do mosquito. “São muitas, mas o que mais falamos e orientamos é sobre a questão de recipientes com água parada. Hoje, temos 134 casos de dengue notificados e 164 de chikungunya, desde janeiro deste ano. Precisamos continuar esse trabalho de orientação e prevenção para que a população entre nessa luta conosco”, exaltou. O secretário informou também que 231 agentes de combate a endemias realizam as visitas domiciliares nos 235.561 imóveis do município, equipes de Educação e Comunicação de Saúde fazem palestras em escolas, o carro-fumacê percorre os quarteirões e as máquinas costais fazem o trabalho aonde o carro não consegue entrar.

Diagnóstico das doenças

O diretor de Prevenção e Controle de Doenças da Secretaria Adjunta de Epidemiologia, Ricardo Lopes,explicou como é feito o diagnóstico dessas doenças. “A princípio, todo o paciente sintomático deve procurar uma unidade de saúde mais próxima para ser notificado e encaminhado para um processo chamado investigação epidemiológica, que é composta por um questionário com perguntas individuais, sociais e coletivas. Em seguida, o paciente será direcionado a um exame específico e diagnosticar qual das doenças ele contraiu”, informou.

Myrian Valentim, 59 anos, destacou a importância de uma campanha de prevenção e conscientização contra as doenças que o mosquito Aedes Aegypti transmite. “As pessoas têm sempre que ficar em alerta e se prevenir, pois muitas mortes acontecem em decorrência disso. Em casa, não tenho plantas aquáticas, mas trabalho fazendo puff de pneu, então sempre tenho uns cinco. Mas sempre quando chove eu viro para que não acumule água e sempre falo com os vizinhos para também terem esse e outros cuidados”, explicou.

Vale lembrar que piscinas abandonadas, restos de materiais de obras, caixas d’água e barris destampados facilitam a proliferação do mosquito e das doenças.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.