Dia Nacional do Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infantojuvenil é tema de encontro técnico do SUAS


BELFORD ROXO - A Secretaria de Assistência Social e Cidadania de Belford Roxo realizou o V Encontro de Técnicos de Referência do SUAS (Sistema Único de Assistência Social), na Uniabeu. O evento foi voltado ao Dia Nacional do Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infantojuvenil (Campanha Faça Bonito), comemorado dia 18 de maio e teve como objetivo sensibilizar os técnicos acerca da importância do trabalho para a prevenção do abuso e exploração infantil, buscando métodos para aprimoramento do trabalho realizado com as crianças e adolescentes.

Durante o encontro, a psicóloga, Cristina Macedo (Secretaria Adjunta de Epidemiologia), a secretária executiva da Educação, Fátima Duarte e a também psicóloga Greice Costa (Assistência Social) ministraram palestras sobre esse combate em seus setores. 

O evento contou ainda com a apresentação musical “Teu corpo é tesourinho” feita pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos do Cras (Centro de Referência de Assistência Social) do Jardim do Ipê. “A música trata do abuso sexual infantil e diz para quem se deve pedir ajuda nesses casos”, informou o facilitador, Fausto Barroso, que se apresentou com as crianças Mayara Rodrigues, John Cleber, Kayllaine Cristina e Thalya Oliveira. 

De acordo com o secretário da pasta, Diogo Bastos, o combate ao abuso e exploração sexual foi divido em dois momentos. “Com esse encontro estamos nos alinhando a estratégia que iremos usar na mobilização que iremos fazer nas ruas no dia 17 em seis pontos estratégicos. Iremos distribuir adesivos com o Disque 100, material informativo em forma de livro e uma flor, símbolo da Campanha Faça Bonito, do Dia Nacional do Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infantojuvenil”, ressaltou.

A psicóloga Greice Costa destacou que a proposta principal desse encontro foi de conscientizar e mobilizar, não só os técnicos, mas também como a população em geral sobre a importância do 18 de maio. “Trouxemos um olhar técnico e voltado para a assistência e refletir no que podemos fazer em termos de prevenção, proteção e de atendimento, caso a criança ou adolescente já tenha sido vítima. Isso também foi discutido dentro da área da saúde e educação”, finalizou Greice.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.