Mulher morre eletrocutada após tiroteio em baile funk em Belford Roxo

Joana Silva morreu eletrocutada após cair sobre os fios expostos

BELFORD ROXO - Uma mulher morreu eletrocutada, na madrugada deste sábado, durante um tiroteio no baile funk da comunidade do Roseiral, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Joana Silva, de 37 anos, tinha ido ao baile com a filha, de 20 anos. Houve tumulto e, na correria, acabou caindo sobre os fios no chão. Segundo a outra filha de Joana, a estudante Hellen Silva, de 18 anos, a polícia entrou na comunidade e começou o tiroteio.

— Às 20h, começou o boato de que o caveirão tinha entrado e depois tinha ido embora. Todo mundo foi para o baile. Minha mãe ainda me chamou, mas eu estava muito cansada. Então, ela foi com minha irmã mais velha. Elas saíram daqui às 2h. Quando eu deitei para dormir, começaram os tiros — conta Hellen.

Como Joana não tinha levado celular, Hellen ligou para a irmã, que confirmou que os tiros tinham sido no baile:

— Os policiais entraram atirando em todo mundo, dando muito tiro. Teve muita gente ferida. Minha irmã disse que minha mãe caiu por cima dos fios e morreu eletrocutada na hora.

Joana chegou a ser levada para Unidade Mista do Lote Quinze, mas não resistiu. Ela tinha um filho de 5 anos e uma menina de 10. A Polícia Militar informou que equipes do 39° BPM (Belford Roxo) realizaram uma ação para coibir evento de música não autorizado na comunidade do Roseiral e que, na chegada dos policiais, criminosos atiraram contra as equipes e houve um princípio de tumulto. Os policiais se abrigaram e não revidaram, para não colocar em risco a vida de inocentes. A PM informou ainda que, "posteriormente, a unidade foi informada sobre a entrada de uma mulher na Unidade Mista do Lote XV vítima de uma descarga elétrica". A 54ª DP (Belford Roxo) foi acionada para registro do caso.

por: Cíntia Cruz
Via: Jornal Extra

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.